A tecnoutopia do software livre: uma história do projeto técnico e político do GNU

sdr
GNUzinho e meus filhotes impressos 🙂

Eu estou muito atrasada, eu sei, mas ainda compensa uma postagemzinha sobre a publicação do meu livro. Na verdade, esse post é para retomar este blog, porque em tempos de quarentena e apocalipse mundial, nada melhor do que escrever. Escrever é a forma mais agradável de ignorar a vida, como já dizia Fernando Pessoa. Pois bem!

Como muitos de vocês devem saber, a minha pesquisa de mestrado foi sobre a história do movimento que defende o software livre. O produto deste pesquisa foi apresentado em forma de dissertação em janeiro de 2014, quando defendi o meu trabalho na Universidade de São Paulo. Como a banca recomendou a publicação do trabalho eu submeti um pedido de auxílio publicação para a FAPESP (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) e em 2016 consegui o necessário para que o livro se tornasse real.

Em 2018 o livro foi publicado pela Alameda Editorial e desde então tenho recebido um feedback bem gratificante. Até arrisco dizer que ele tem se tornado uma das principais referências aqui no Brasil sobre a história do movimento software livre. Para quem ainda não leu e tem curiosidade de saber o que o livro aborda especificamente, aqui vai um breve resumo.

sdr

Como a minha intenção era contar a história do movimento e defender a ideia de que ele em algumas partes do mundo, como aqui no Brasil, assumiu o lugar de outras utopias na virada do século, o livro aborda a história da computação e do próprio software livre a partir de uma perspectiva econômica e política. É claro que não deixo de lado as questões técnicas, mas elas dividem espaço com as questões históricas.

Assim, no Capítulo 1: Tudo assistido por máquinas de adorável graça, eu conto a história do contexto de criação dos computadores pessoais e falo também do surgimento da cultura hacker. Se você é do tipo que tem muito interesse pela cultura hacker, esse capítulo pode te interessar muito. Ele é importante para explicar de onde vem a tradição de compartilhar informações/conhecimento na qual o Richard Stallman se baseia para criar o Projeto GNU.

No Capítulo 2: A Filosofia GNU, explico como a indústria do software nasceu e como o software proprietário se tornou o seu padrão de produção. A partir disso, é possível entender em qual contexto nasce o Projeto GNU, que dá início ao movimento software livre, na metade dos anos 1980. Nesse capítulo eu também explico quais são os principais argumentos do movimento e qual o perfil político-ideológico de seu criador, Richard Stallman.

A parte final, o Capítulo 3: O projeto social do GNU e o software livre como utopia, é o arremate do livro, onde faço algumas considerações sobre as questões ideológicas em torno da disputa entre o software livre e o open source, explicando como a chegada do Linux ao movimento nos anos 1990 deu uma outra tonalidade a ele, tornando-o mais palatável para o mercado e, portanto, mais facilmente cooptável pelo discurso neoliberal. Por fim, falo um pouco sobre a origem do movimento aqui no Brasil e de como ele representou um lampejo de esperança para grupos de esquerda desiludidos com o fracasso da utopia socialista no século XX.

Para quem tiver interesse em saber mais sobre essa história, é possível adquirir o livro nas principais livrarias do país, além, é claro, do site da editora Alameda. Aqui na lateral do blog eu vou deixar a imagem do livro e um link permanente para a página da Alameda, onde ele pode ser comprado.

Fiquem à vontade para enviar sugestões/feedback sobre o livro por aqui ou por e-mail.

Até! o/

 

 

My participation in LaKademy 2019

LaKademy 2019 Group Photo

Hi, people! Here I am again telling about how I love this community and like to be part of every activity we organize. Almost two weeks ago we had a new edition of LaKademy, the Latin American KDE Summit, which we’ve been organizing in Brazil since 2012. This edition was held in Salvador, Bahia, for the second time (the 2015 edition was there too).

During the four days we worked there, I dedicate my time to improve LaKademy website. I’ve created a page for this event in 2017 but it needed some adjustments, like a more modern and responsive template. Since some projects in KDE community are adopting a unified template that uses Jekyll, I’ve decided to change LaKademy website to this template too. So I spent my time there first trying to make Jekyll run on my computer (we had some issues with the network from the University the event happened, so it took me almost a day to figure out why some things on my computer were not working 🙂 ) and then trying to learn how Jekyll works 😀

This is how the website looks right now:

It is just a static webpage made in HTML/CSS with some information about each edition. We think this page as just a repository to show information about every edition. For news and updates we always use KDE Brasil webpage or KDE.news.

And this is how the new webpage is looking right now. I am still working on it and it still has a lot of work to do to finish it. But now I will have to do this during my free time, since I couldn’t finish it during the event.

This was once again a very nice event to work with things and people that I like, in a city that I love. We had some new contributors attending to it and we could think of some strategies to make this community stronger during our traditional promo meeting. We’ve created a KDE Brazil Promo group at Telegram to coordinate our promo activities here in Brazil and we hope we can get better at it and reach as much people possible 😀

I would like to thank KDE e.V. to support this event every year and Caio and Icaro for having organized it in Salvador. I’m looking forward to attend to LaKademy 2020! 🙂